Pós-Graduação

[email protected]:

 

DISCIPLINA:  MODERNIDADE E EUGENIA –  fascismos e discursos de                                                         

                       ódio na  Modernidade – 2017.1

EMENTA: Tecnologias de eugenia social na Modernidade. Biopoder e biopolíticas. Holocausto. Racismo. Teoria Social.

OBJETIVOS:  O curso pretende discutir  as influências da Medicina, do Direito e da Sociologia no fomento das práticas de eugenia social ocorridas do final do século 19 até, principalmente, os anos 1950 do século 20.  A tese na qual esta disciplina se baseia é que a moral, a biologia e o debate sociológico formam o tripé que segura a sociedade moderna. O debate sobre as redes de ódio atuais e os novos fascismos terá lugar também no curso.

 

REFERÊNCIAS DO CURSO

S1 –  Modernidade, Eugenia e Sociologia: os controles discursivos

S2 – A Modernidade e a limpeza

FREUD, Sigmund.  O Mal-estar na civilização.  13 ed. Edição Standard  Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud.  Vol. XXI. Rio de Janeiro: Imago Editora, 1990.

LEÓN, Adriano. Fascismos em rede: uma mirada nos discursos de ódio pelas mãos de Foucault. In: SILVA, Francisco V; DOMINGOS, José Josemir; PEREIRA, Tânia Maria A.  Foucault e mídia: entre pirotecnias e reflexões.  João Pessoa: Marca de Fantasia, 2017. E-book. Disponível em http://marcadefantasia.com/livros/veredas/foucault-e-midia/foucault-e-midia.htm.

S3 – De perto ninguém é normal

CANGUILHEM, Georges. O normal e o patológico  . 5ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

S4 – Uma economia biológica: biopolítica e biopoder

PÉLBART, Peter Pal. Vida capital: ensaios de biopolítica. São Paulo: Iluminuras, 2004.

S5 – As Ciências Sociais e a Eugenia

CASTRO, Celso. Evolucionismo cultural. Morgan, Tylor e Fraser. 2ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

S5 – A propaganda como controle da população

ADORNO, Theodor. A teoria freudiana e o modelo fascista de propaganda. Psychoanalysis and  the Social Sciences 3 (408-433) 1951. Reproduzido em Gesammelte Schriften Vol. 8, T. I [Soziologische Schriften] Frankfurt : Surhkamp Verlag, 1975.

____________. Liderança democrática e manipulação de massas. (Idem)

____________. Introdução à “A Personalidade Autoritária” [1950]* (idem)

S7 – As técnicas de controle: a invenção da psiquiatria

FOUCAULT, Michel. O poder psiquiátrico. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

S8 – A psiquiatria e o discurso da limpeza no Brasil

MACHADO, Roberto et al. A danação da norma: medicina social e constituição da psiquiatria no Brasil. Rio de Janeiro: Graal, 1978.

S9 – Por uma raça superior

BLACK, Edwin. A guerra contra os fracos: a eugenia e a campanha norte-americana para criar uma raça superior. São Paulo: Girafa, 2003.

S10 –  A questão do holocausto

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade e holocausto. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

S11 – A macabra história da medicina antropométrica e o positivismo

DARMON, Pierre. Physiologists and murders at the Belle Époque. Londres: Penguin, 2005. (tradução de Adriano de León, 2007)

S12 – Raça e racismo no Brasil

SCHWARCZ, Lilia M.  O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil – 1870 – 1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

S13 –  A Sociologia e a idéia de limpeza racial

GAUDÊNCIO, Edmundo O. A maldade da sociologia e a sociologia da maldade.  João Pessoa: PPGS, 2005. Tese de doutorado.

S14 – Purificar

DOUGLAS, Mary. Pureza e perigo. Lisboa: Edições 70, 1998.

COSTA, Rogério. A sociedade de controle. São Paulo em perspectiva, 18(1): 161-167, 2004.

S15 – Novas idéias sobre os processos eugenistas no mundo atual: genética avançada, clonagem, teoria social e novas técnicas de controle.